(27) 988820559 gvnewstv@gmail.com

Empresas da cadeia produtiva de petróleo e gás podem contar com investimentos

out 1, 2019

A indústria do petróleo e gás mobiliza uma série de atividades em diversos setores da economia. Com o mercado aquecido pela alta do preço do barril de petróleo, o mercado de Petróleo, Gás e Energia é uma área promissora para empresários capixabas que podem contar com recursos das linhas de financiamento do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes).

O Espírito Santo, como peça-chave no desenvolvimento estratégico do setor, atrai investimentos e geram boas oportunidades para os investidores, como no setor naval, de logística para atendimento às atividades de exploração e produção, entre tantas outras. Já os empresários capixabas têm a vantagem da posição logística com maior demanda para o setor, afinal, o Estado é o segundo produtor de petróleo no ranking nacional.

As oportunidades de aproveitamento comercial desta cadeia produtiva de óleo e do gás são diversas. O empresário para ter maior perspectiva de rentabilidade deve investir em um plano de negócios de maneira eficiente. Por exemplo, compõem a cadeia produtiva do petróleo negócios com as seguintes finalidades: exploração, perfuração, avaliação, produção, transporte, estocagem, refino e distribuição.

Os modelos de negócio relacionados à atividade contam com uma base muito qualificada e estruturada, com possibilidade de expansão em diversas atividades do setor, podendo ser replicados em outros arranjos produtivos.

No Bandes, o empresário tem a disposição recursos na forma de linhas de crédito e de fundos de investimentos em participações (FIPs). Esse tipo de investimento é uma modalidade de apoio distinta do crédito tradicional, na qual uma empresa gestora do Fundo identifica o potencial de crescimento de um negócio e adquire um percentual de suas ações.

Por meio do crédito tradicional do Bandes, o empresário pode investir na aquisição máquinas, equipamentos, investir em pesquisa e inovação, capacitação da equipe e obras cíveis do empreendimento por exemplo.

Já as FIP têm foco em investimento em startups. Neste processo, o Fundo, por meio de seus gestores, prospectam empresas com potencial de crescimento e entram como sócios acionistas oferecendo capital, gestão, estratégia e governança para alavancar o negócio de forma rápida e estruturada. Os investimentos do Fundo nas empresas selecionadas deverão possibilitar a participação do Fundo no processo decisório das Empresas Investidas, com efetiva influência na definição de sua política estratégica e de gestão.

As startups relacionadas à cadeia produtiva de petróleo e gás são foco dos fundos as que atuam em Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PD&I) e aplicação de produtos, processos e serviços de alta tecnologia e/ou significativo teor de inovação na solução de problemas relevantes em grandes mercados, entre outros.