Home Notícias do Dia Grande Vitória tem Plano Diretor Urbano Integrado
Grande Vitória tem Plano Diretor Urbano Integrado
0

Grande Vitória tem Plano Diretor Urbano Integrado

0

O Espírito Santo é o primeiro Estado do País a colocar em prática o Plano de Desenvolvimento Urbano e Integrado (PDUI) aprovado e transformado em legislação. A lei que institui o PDUI da Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV) foi sancionada pelo governador Paulo Hartung, na manhã desta quinta (7). A solenidade de sanção da Lei Complementar nº 872 ocorreu no Palácio Anchieta, em Vitória.

De acordo com o governador Paulo Hartung  o PDUI é importante para traçar diretrizes para desenvolvimento da Região Metropolitana. “Esse plano é uma tentativa de forjar um mapa de navegação da região metropolitana respeitando as autoridades e particularidades de cada município. Se tivermos um olhar futurista, é isso que o plano prevê, teremos condições de projetar nossas cidades em temas complexos como mobilidade humana no meio e longo prazo”, exemplificou Paulo Hartung.

O governador agradeceu aos técnicos municipais, membros dos movimentos populares e integrantes do Governo do Estado pela contribuição na formulação do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI). “O plano foi um conteúdo preparado em várias mãos com contribuição direta de técnicos, lideranças comunitárias e políticas e que foi enviado e debatido na Assembleia Legislativa Estadual”, ponderou Hartung.

A diretora-presidente do Instituto Jones Santos Neves (IJSN), Gabriela Lacerda, ressaltou que o PDUI/RMGV foi elaborado de forma participativa, por meio de oficinas, debates e reuniões que envolveram todos os segmentos da sociedade. E enfatizou que os quatro eixos norteadores do Plano – ordenamento territorial,  desenvolvimento econômico, meio ambiente e mobilidade urbana – foram guiados pela premissa de que a metrópole deve ser feita para as pessoas. “É não olhar a cidade só a partir do ponto de vista do planejamento, mas considerar o humano. A sanção hoje do PDUI não é a linha de chegada, mas sim o ponto de partida na agenda metropolitana”, afirmou.