Home Notícias do Dia Mais de seis mil alunos da rede privada mudam para o ensino público em 2018
Mais de seis mil alunos da rede privada mudam para o ensino público em 2018
0

Mais de seis mil alunos da rede privada mudam para o ensino público em 2018

0

O número de solicitações de matrículas, para o próximo ano letivo, na rede estadual de ensino cresceu 10% em comparação com 2017.  Durante o período de Chamada Pública Escolar para o ano letivo de 2017, foram 227 mil solicitações de matrículas ao todo. Já neste ano, esse número subiu e foram mais de 250 mil solicitações para 2018. Desse total, mais de 73 mil foram de rematrícula, mais de 60 mil de pré-matrícula e 16 mil de transferência interna.

“Em 2017 passamos a fazer a matrícula totalmente online. Foi um grande aprendizado, pois vimos que dessa forma as famílias participam muito mais da vida dos seus filhos. Para o ano que vem, foram 250 mil solicitações e temos capacidade para atender até 350 mil estudantes. Temos escolas para todos, não é por falta de vagas que adolescentes e jovens estão fora da escola”, comentou o secretário de Estado da Educação, Haroldo Rocha.

Dentre os pedidos de matrículas, para o próximo ano, 6.464 são de estudantes vindos da rede privada de ensino. Já as escolas mais requisitadas da Grande Vitória foram: Prof. Renato José da Costa Pacheco, em Vitória, Escola Viva Joaquim Beato, na Serra, Escola Viva Assisolina Assis de Andrade, Vila Velha, Hunney Everest Piovesan, Cariacica, e Escola Viva José Leão Nunes, também em Cariacica, que inicia as atividades em tempo integral em 2018.

Tempo Integral

Dando continuidade à expansão do Programa Escola Viva, 20 mil vagas de educação em tempo integral serão ofertadas no próximo ano para os estudantes capixabas em mais 15 novas unidades, totalizando 32 unidades com ensino o dia todo.

A Grande Vitória contará com mais seis novas Escolas Vivas. São elas: Fernando Duarte Rabello, em Vitória; Galdino Antônio Vieira, em Vila Velha; Novo Horizonte, na Serra; Itagiba Escobar, José Leão Nunes e Maria Penedo, em Cariacica.

No interior do Estado, municípios de Norte a Sul também foram contemplados com a educação em tempo integral. Em Aracruz, São Gabriel da Palha, Barra de São Francisco e Baixo Guandu as vagas serão ofertadas nas escolas Monsenhor Guilherme Schmitz, São Gabriel da Palha, João XXIII e Baixo Guandu, respectivamente.

Em Cachoeiro de Itapemirim, que desde 2016 possui a Escola Viva Francisco Coelho Ávila Junior, a segunda unidade Escola Viva no município ficará na Liceu Muniz Freire. Já no município de Alegre, os projetos de vida serão construídos na Aristeu Aguiar, em Mimoso do Sul, na Antônio Acha, em Itapemirim, na Washington Pinheiro Meirelles e em, Anchieta, no Sesi-Senai.

“O nosso compromisso com a Educação é para formar uma juventude de alto nível de conhecimento e preparada para o mundo de hoje. A Escola Viva é mais que uma escola. É uma ferramenta importante de transformação social, que tem o compromisso de fazer os estudantes buscarem os seus sonhos”, frisou Haroldo Rocha.

Toda estrutura física e de pessoal já está sendo viabilizada para as novas unidades, onde os estudantes terão um período de turno único, com permanência de 9h30 na escola. Laboratórios, salas temáticas, auditório, biblioteca, refeitório, quadra poliesportiva e ginásio esportivo.