Home Noticias Semana terá campanhas de vacinação
Semana terá campanhas de vacinação
0

Semana terá campanhas de vacinação

0

vacina2polio_SesaO Espírito Santo deve imunizar pelo menos 218 mil crianças contra paralisia infantil durante a Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite, que será realizada entre os dias 15 e 31 de agosto. A meta é imunizar, nesse período, 95% do público-alvo, estimado em 229.535 crianças com idade entre 6 meses e menos de 5 anos.

No mesmo período será promovida a Campanha de Multivacinação, que tem como objetivo atualizar o cartão de vacinação dos pequenos que têm menos de 5 anos de idade com doses das vacinas que compõem o calendário básico de imunização da criança. Serão disponibilizadas com essa finalidade vacinas que protegem contra tuberculose, hepatite B, difteria, tétano, coqueluche, meningite, pneumonia, diarreia, sarampo, caxumba, rubéola, catapora e hepatite A.

Conforme explica a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações, Danielle Grillo, diferentemente da campanha contra poliomielite, que é indiscriminada, ou seja, pretende alcançar o maior número possível de crianças dentro do público-alvo determinado, a de multivacinação não possui uma meta quantitativa. Neste caso, a vacinação é feita de forma seletiva, avaliando-se as carteiras de vacinação das crianças e imunizando somente os pequenos que não estão com o esquema vacinal em dia.

“A oferta de diferentes vacinas simultaneamente é uma experiência bem-sucedida. A eficácia desse tipo de campanha vem sendo comprovada pela redução no número de casos de doenças imunopreveníveis no país, como coqueluche, difteria, meningites, tétano neonatal, tétano acidental, sarampo e a própria poliomielite, que foi eliminada do território brasileiro”, detalha Danielle Grillo.

Segundo ela, o Dia D das campanhas de vacinação contra poliomielite e de multivacinação será realizado no dia 15 de agosto, um sábado. Nesta data, as unidades de saúde abrirão exclusivamente para atender o público-alvo das campanhas, uma facilidade para os pais que trabalham durante a semana e, por isso, não têm tempo de levar o filho até o local de vacinação. “Os pais não devem perder essa oportunidade de imunizar seus filhos contra a paralisia infantil e manter a carteira de vacinação das crianças atualizada, pois a vacinação garante proteção contra doenças graves”, comenta a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações.

Poliomielite

Em informe técnico enviado aos Programas Estaduais de Imunizações, o Ministério da Saúde (MS) salienta que desde a realização da Assembleia Mundial da Saúde, em 1988, a incidência mundial de poliomielite reduziu mais de 99%, e o número de países onde a doença é endêmica passou de 125 para 3 (Nigéria, Paquistão e Afeganistão).

Ressalta ainda que a Iniciativa Global de Erradicação da Poliomielite, criada naquele mesmo ano, permitiu que hoje a doença afete um número reduzido de crianças ao redor do mundo. Por outro lado, o documento alerta que essa situação pode mudar rapidamente se a poliomielite não for erradicada, uma vez que a doença tem potencial epidêmico e ainda restam três países endêmicos, o que representa uma ameaça às áreas livres da pólio.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), segundo o informe técnico, indicam que entre o ano passado e este ano nove países registraram casos da doença, na maioria das situações decorrente da importação do poliovírus selvagem de outros países. Neste ano, até o dia 16 de junho, foram registrados 28 casos da doença, todos em países endêmicos (25 no Paquistão e três no Afeganistão).

“A poliomielite é uma doença infectocontagiosa causada por um vírus. Ela acomete, em geral, os membros inferiores e tem como principais características a flacidez muscular e pode levar à morte ou causar sequelas paralíticas irreversíveis. O Espírito Santo não registra caso de poliomielite desde 1988, e o Brasil desde 1990. Assim, manter uma cobertura vacinal alta e homogênea em todos os municípios torna-se importante para evitar o risco da reintrodução da doença em nosso território”, detalha Danielle Grillo.

 

Vacinas disponibilizadas nas campanhas

Poliomielite: protege contra a paralisia infantil

BCG: protege contra formas graves de tuberculose;

Hepatite B: protege contra a hepatite B;

Pentavalente: protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e haemophilus influenzae tipo B (bactéria que causa meningite);

Pneumocócica 10-valente: protege contra o pneumococo, bactéria que causa pneumonia e meningite;

Meningocócica C: protege contra o meningococo C, bactéria que causa meningite;

Rotavírus: protege contra diarreia e desidratação;

Tríplice Viral: protege contra sarampo, caxumba e rubéola;

Tríplice Bacteriana (DTP): protege contra difteria, tétano e coqueluche;

Tetraviral: imuniza contra sarampo, caxumba, rubéola e catapora;

Hepatite A: protege contra a hepatite A.