Home Notícias do Dia Gripe: campanha de vacinação começa nesta segunda (18)
Gripe: campanha de vacinação começa nesta segunda (18)

Gripe: campanha de vacinação começa nesta segunda (18)

0

gripe4A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe começa nesta segunda (18). Os primeiros a serem vacinados serão os trabalhadores de saúde, gestantes e puérperas (mulheres com até 45 dias após o parto). Apesar de o estado ter adiantado a vacinação por causa de um caso de morte no estado, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) orienta que somente pessoas dos grupos definidos busquem as unidades de saúde municipais neste primeiro momento da campanha de vacinação.

Os trabalhadores de saúde (65.830 pessoas), as gestantes (42.380 mulheres) e as puérperas (6.965 mulheres) representam 13,55% do total de pessoas a serem vacinadas contra gripe no Espírito Santo. Segundo a referência técnica em supervisão e capacitação do Programa Estadual de Imunizações da Secretaria de Estado da Saúde, Cristiane Soeiro Faria, o objetivo é alcançar o maior número de pessoas possível, dentro desses três grupos considerados de risco, até 30 de abril, dia D de mobilização nacional, quando a vacinação será estendida para os demais públicos prioritários.

A referência técnica esclarece que os grupos prioritários são definidos pelo Ministério da Saúde com base nas séries históricas de pessoas infectadas, as faixas etárias mais atingidas e populações mais suscetíveis. E uma vez que esta população é imunizada, os riscos de transmissão dos vírus diminuem consideravelmente.

Cristiane Soeiro Faria explica que os profissionais de saúde compõem o grupo de risco porque fazem parte de uma categoria que está mais exposta, uma vez que trabalham em contato direto com pessoas doentes ou que podem estar em processo de adoecimento. “Esses profissionais precisam estar imunizados para que não sejam propagadores do vírus e para que não adoeçam e possam continuar prestando serviço à população”, esclarece.

Já as gestantes e as puérperas estão no grupo de risco porque, se contraírem gripe, a doença pode evoluir para um quadro mais grave, uma vez que a condição de saúde dessas mulheres é mais frágil. A referência técnica do Programa Estadual de Imunizações diz que a gravidez, por si só, promove alterações fisiológicas, no organismo da mulher, que a deixam mais vulnerável.

O Informe Técnico da Campanha Nacional contra Influenza, do Ministério da Saúde, ressalta que as puérperas “apresentam risco semelhante ou maior que as gestantes de ter complicações em decorrência da influenza”. Conforme ressalta Cristiane Soeiro Faria, a vacina contra a influenza é segura e pode ser feita em qualquer período da gestação.

Segundo a referência técnica, na situação das gestantes e puérperas, a vacina traz benefícios tanto para as mulheres, por reduzir a possibilidade de desenvolverem formas graves da doença, quanto para seus bebês. Ela explica, ainda, que os bebês são beneficiados porque com menos de 06 meses as crianças não podem receber a vacina, e, ao vacinar a mãe, evita-se que ela adoeça e passe a gripe para a criança.

 

A campanha

A campanha de vacinação contra gripe no Espírito Santo começa dia 18 de abril e vai até o dia 20 de maio, seguindo um cronograma por público-alvo. Pelo menos 679 mil pessoas devem ser imunizadas no Estado, o que representa 80% do público prioritário (849.975 pessoas). O Espírito Santo receberá 909.200 doses do Ministério da Saúde. A vacinação acontecerá em todas as Unidades Básicas de Saúde, nos 78 municípios capixabas.

 

Cronograma de vacinação contra gripe

 

– A partir de 18 de abril (segunda-feira): trabalhadores da saúde (todos os trabalhadores dos serviços públicos e privados, nos diferentes níveis de complexidade), gestantes e puérperas (mulheres no período até 45 dias após o parto);

– A partir de 30 de abril (sábado): vacinação de todos os grupos prioritários da campanha, que é composto por pessoas com 60 anos ou mais; crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade; indígenas; população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional; pessoas com doenças crônicas, como diabetes tipos I e II em uso de medicamento, hipertensão sistêmica com comorbidade, entre outras; profissionais de saúde; gestantes e puérperas.

WhatsApp chat